SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número4Cirugía del día: colecistectomía laparoscópica. ¿Es factible en nuestro medio?Implementación y evaluación de un curso de accesos venosos centrales ecoguiados para hemodiálisis con simuladores índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Revista Médica del Uruguay

versión impresa ISSN 0303-3295versión On-line ISSN 1688-0390

Resumen

LEYES, Laureano; VERGA, Federico; GODINO, Mario  y  BARBATO, Marcelo. Tiempo de deterioro clínico extra UCI y sobrevida: una casuística. Rev. Méd. Urug. [online]. 2016, vol.32, n.4, pp.281-288. ISSN 0303-3295.

Resumo Introdução: a maioria das situações de risco vital é precedida por uma deterioração clínica detectável. A detecção tardia, demora do tratamento e ingresso em uma unidade de terapia intensiva (UTI) estão associadas a uma permanência mais prolongada no hospital e a maior mortalidade. As equipes de resposta rápida são úteis nessas situações. Objetivo: avaliar o reconhecimento do paciente potencialmente crítico na sala de internação geral, a presença de “critérios de ativação” prévios ao ingresso a UTI e seu impacto nos resultados. Material e método: detecção de critérios de ativação nas horas previas ao ingresso a UTI por análise do prontuário do paciente. Resultados: ingressaram 59 pacientes com deterioração clínica procedentes de sala de internação geral, que corresponderam a 13% do total de ingressos a UTI. A média e o desvio padrão da idade foi 59 ± 17 anos e de permanência na UTI 13 ± 21 dias. Foi necessário prestar assistência respiratória mecânica a 63% e administrar vasopressores a 43%. Com relação à SAPS II, as médias e desvios padrão foram 49 ± 24 vs 36 ± 23 para a população geral da UTI (p<0,001), e a mortalidade foi de 51% vs 24%; (p<0,001). 43% apresentou algum critério de ativação nas 24 horas previas ao ingresso, e nas 48 horas previas 23% dos pacientes. A mortalidade aumentou com a presença de critérios de ativação às 24, 48 e 72 horas previas: 58%, 62% e 78% respectivamente (p, não significativo). Conclusões: os pacientes ingressados a UTI desde a sala de internação geral apresentam condições mais graves que a população em geral e também maior mortalidade. A mortalidade aumentaria com a demora no reconhecimento da deterioração clínica. Sua captação precoce pode beneficiar o estado do paciente.

Palabras clave : PATIENT ACUITY; DETERIORATION; PROGNOSIS; SURVIVAL HOSPITAL RAPID RESPONSE TEAM.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons