SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 issue4Cirugía del día: colecistectomía laparoscópica. ¿Es factible en nuestro medio?Implementación y evaluación de un curso de accesos venosos centrales ecoguiados para hemodiálisis con simuladores author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Revista Médica del Uruguay

Print version ISSN 0303-3295On-line version ISSN 1688-0390

Abstract

LEYES, Laureano; VERGA, Federico; GODINO, Mario  and  BARBATO, Marcelo. Tiempo de deterioro clínico extra UCI y sobrevida: una casuística. Rev. Méd. Urug. [online]. 2016, vol.32, n.4, pp.281-288. ISSN 0303-3295.

Resumo Introdução: a maioria das situações de risco vital é precedida por uma deterioração clínica detectável. A detecção tardia, demora do tratamento e ingresso em uma unidade de terapia intensiva (UTI) estão associadas a uma permanência mais prolongada no hospital e a maior mortalidade. As equipes de resposta rápida são úteis nessas situações. Objetivo: avaliar o reconhecimento do paciente potencialmente crítico na sala de internação geral, a presença de “critérios de ativação” prévios ao ingresso a UTI e seu impacto nos resultados. Material e método: detecção de critérios de ativação nas horas previas ao ingresso a UTI por análise do prontuário do paciente. Resultados: ingressaram 59 pacientes com deterioração clínica procedentes de sala de internação geral, que corresponderam a 13% do total de ingressos a UTI. A média e o desvio padrão da idade foi 59 ± 17 anos e de permanência na UTI 13 ± 21 dias. Foi necessário prestar assistência respiratória mecânica a 63% e administrar vasopressores a 43%. Com relação à SAPS II, as médias e desvios padrão foram 49 ± 24 vs 36 ± 23 para a população geral da UTI (p<0,001), e a mortalidade foi de 51% vs 24%; (p<0,001). 43% apresentou algum critério de ativação nas 24 horas previas ao ingresso, e nas 48 horas previas 23% dos pacientes. A mortalidade aumentou com a presença de critérios de ativação às 24, 48 e 72 horas previas: 58%, 62% e 78% respectivamente (p, não significativo). Conclusões: os pacientes ingressados a UTI desde a sala de internação geral apresentam condições mais graves que a população em geral e também maior mortalidade. A mortalidade aumentaria com a demora no reconhecimento da deterioração clínica. Sua captação precoce pode beneficiar o estado do paciente.

Keywords : PATIENT ACUITY; DETERIORATION; PROGNOSIS; SURVIVAL HOSPITAL RAPID RESPONSE TEAM.

        · abstract in English | Spanish     · text in Spanish     · Spanish ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License