SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 número especialACCESOS VENOSOS PERIFÉRICOS DIFICULOSOS EN ADULTOS ASA I Y II: UNA ESCALA PARA PREDECIRLOSINYECCIÓN INTRATECAL INADVERTIDA DE ACIDO TRANEXÁMICO. índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Links relacionados

Compartir


Anestesia Analgesia Reanimación

versión impresa ISSN 0255-8122versión On-line ISSN 1688-1273

Anest Analg Reanim vol.30 no.spe Montevideo nov. 2017

 

Resumen

ANESTESIA PARA CIRURGIA ORTOPÉDICA DE URGÊNCIA EM PACIENTE PORTADOR DE PORFIRIA HEPÁTICARELATO DE CASO

Marília A. Zamprogna1 

Heráclito B. Fonseca1 

Ana Luiza C. Da Cruz1 

Cláudia M. Simões1 

1Hospital Samaritano, São Paulo - Brasil. E-mail: marizamprogna@hotmail.com


RESUMO

Justificativa e Objetivos:

As porfiriassãodistúrbiosenvolvendo enzimas do processo de síntese do heme. As manifestações agudas incluemdor abdominal, hiperatividade simpática, neuropatia periférica e sintomas psiquiátricos, com importante morbimortalidade. A fisiopatogenia resulta da toxicidade dos precursores de porfirina, podendo ser desencadeada por fármacos de uso comum, restrição intensa de carboidratos e estressemetabólico. Aqui relatamosum caso de porfiria hepática, necessitando de cirurgia de urgência.

Relato do Caso:

Paciente feminina, 74 anoscomporfiria hepática, submetida a cirurgiapara correção de fraturaexposta de rádio. Avaliaçãopré-anestésica minuciosa, visando minimizar a chance de criseporfírica por medicações anestésicas. Optado por anestesia geral balanceada (induçãocom propofol e manutençãocom óxido nitroso),evitando-se os principaisdesencadeantes. Procedimentosemintercorrência; paciente recebeu alta hospitalarapós setedias.

Discussão:

A avaliaçãopré-anestésica do paciente porfíricodeve atentar para neuropatia periférica einstabilidadeautonômica. O jejumdeve ser o menor possível. Somenteprescrevermedicaçõesapós consultar a lista de fármacos proibidos.Quantoaos medicamentos contra-indicados, citamos: barbitúricos,etomidato, cetamina, enflurano, dipirona, dimenidrato, metoclopramida e esteroides. O propofol é seguro para indução anestésica, porém, nãose recomenda a infusãocontínua.Entre as medicações seguras estão: óxido nitroso, isoflurano, rocurônio, atracúrio, cisatracúrio,succinilcolina, opioides,ondasetrona e a maioria dos anestésicos locais e benzodiazepínicos.

Conclusões:

A porfiria é umdistúrbio raro, o qual pode ser desencadeado por medicamentos frequentemente usados na anestesia e na prática médicageral. Nesse sentido, a avaliaçãopré-anestésicamostra-se comouma grande ferramenta para a segurança e sucesso da anestesia.

Palavras-chave: anestesia; medicamentos anestésicos; avaliaçãopré-anestésica; porfiria

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons