SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número2Estudio descriptivo de una población de pacientes EPOC asistidos en el Hospital Pasteur: severidad e impacto en la vida diariaGangliopatía: a propósito de un caso índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Links relacionados

Compartir


Revista Uruguaya de Medicina Interna

versión impresa ISSN 2393-6797versión On-line ISSN 2393-6797

Resumen

PIPPO, Antonella et al. Tabagismo e gênero: conhecimento sobre as doenças dependentes do tabaco em mulheres, entre usuários hospitalizados em hospitais públicos em Montevidéu 2017. Rev. Urug. Med. Int. [online]. 2018, vol.3, n.2, pp.22-30. ISSN 2393-6797.  http://dx.doi.org/10.26445/rmu.3.2.3.

Introdução:

O consumo de tabaco é considerado pela Organização Mundial de Saúde a primeira causa de morte evitável em todo o mundo. No Uruguai, 22,2% dos adultos são fumantes, sendo a prevalência maior nas mulheres do que nos homens na faixa etária entre 15 e 18 anos. Além disso, durante a gravidez, há uma frequência de tabagismo de 9,8% em pacientes que frequentam instituições privadas e 26,3% em instituições públicas. Foi descrito um conjunto de mitos e ignorâncias que atuam como barreiras à cessação do tabagismo nas populações mais vulneráveis.

Objetivo:

Determinar o grau de conhecimento sobre as doenças dependentes do tabaco em geral e das mulheres, em pacientes internados em serviços de ginecologia obstétrica de hospitais públicos em Montevidéu, Uruguai, no período de julho a agosto de 2017.

Materiais e métodos:

Foi realizado um estudo descritivo observacional prospectivo, coletando dados através de formulários pré-estabelecidos. Todos os pacientes com idade superior a 18 anos admitidos nos hospitais públicos selecionados, que concordaram em participar do estudo, foram incluídos.

Resultados:

Incluímos 196 participantes no estudo com uma idade média de 35,38 anos. 59% da população possuía ensino médio incompleto, enquanto 17% completaram apenas o primário. A prevalência de tabagismo foi de 30,6%. Pacientes associaram o tabagismo a desfechos obstétricos ruins em 96,4%. Apenas 50% relacionaram o tabagismo ao câncer do colo do útero, 47,4% à infertilidade e 56,1% à osteoporose, enquanto 86,2% o reconheceram como fator de envelhecimento da pele. Em geral, não houve diferenças significativas no conhecimento entre fumantes e não fumantes. Entre os participantes, 34,2% consideraram o tabaco como menos prejudicial do que o cigarro. Verificou-se que uma minoria da população recebeu aconselhamento adequado para a cessação durante a hospitalização.

Conclusões:

Os pacientes desconhecem parcialmente a ligação entre o uso do tabaco e os problemas de saúde da mulher. Maior divulgação é necessária entre os pacientes e equipes de saúde nessas áreas, estratégias de informação e aconselhamento, bem como encaminhamento para cessação do tabagismo.

Palabras clave : Fumar; mulher; Uruguai..

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )