SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.5 número1Características del cáncer de mama masculino en una población uruguayaInfecciones respiratorias agudas bajas en niños menores de 2 años. Hospitalizaciones durante el invierno del año 2014 índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Links relacionados

Compartir


Anales de la Facultad de Medicina

versión On-line ISSN 2301-1254

Resumen

FRATELLI, Rodrigo; CASALES, Nicolás; OEHLER, Mauricio  y  FRANCESCOLI, Luis. Instabilidade pós-traumática do cotovelo. Revisão bibliográfica. Anfamed [online]. 2018, vol.5, n.1, pp.68-81. ISSN 2301-1254.  http://dx.doi.org/10.25184/anfamed2018v5n1a4.

Introdução:

Dislocaçõessão de 10% a 25% de todas as lesões no cotovelo. Aproximadamente 15% dos pacientes ficam com algum síntoma compatívelcom instabilidade. O objetivo deste trabalho é rever na literatura os diferentes tratamentos propostos para esta complicação a pósuma simples deslocação do cotovelo.

Materiais e métodos:

Uma pesquisa foi feita em bancos de dados: Medline (interface Pub-Med) e Bireme para estudos dos últimos dez anos. Foram selecionados artigos que atendem a os critérios de inclusão e exclusão, extraindo os dados relevantes e os resultados deles. A busca gerou um total de 596 artigos, dos quais 10 atendem a os critérios de incluso propostos no início da pesquisa.

Discussão:

Analisamos e comparamos as taxas de instabilidade após deslocamento, os diferentes tipos de tratamento e complicações.

Conclusão:

Existe consenso na literatura analisada segundo a qualum teste de estabilidade do cotobelo deve ser realizado em agudos para definir o tratamento. Sobre o tratamento os cotovelo sin stáveis a literatura é diversa e faltam estudos comparativos para realizar recomendações.

Palabras clave : dislocações de cotovelo; instabilidade de cotovelo.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )