SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.90 número3Descripción del programa de atención domiciliaria de una unidad de cuidados paliativos pediátricos en su primer año de trabajo índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Archivos de Pediatría del Uruguay

versión impresa ISSN 0004-0584versión On-line ISSN 1688-1249

Resumen

VAZQUEZ, Martín; IGLESIAS, Soledad; IGLESIAS, Claudio  y  PEREZ, Walter. Uso de probióticos, drogas anti-secretoras e zinco em gastroenterite aguda em pediatria no Uruguai. Arch. Pediatr. Urug. [online]. 2019, vol.90, n.3, pp.5-27. ISSN 0004-0584.  http://dx.doi.org/10.31134/ap.90.2.2.

Introdução:

há um interesse crescente em tratamentos para reduzir a duração da gastroenterite aguda (GA) em pediatria, embora ainda há pouco conhecimento do tratamento no Uruguai.

Objetivo:

que os pediatras uruguaios se familiarizem com os tratamentos com probióticos, medicamentos anti-secretores e zinco.

Métodos:

pesquisa online enviada aos pediatras da Sociedade Uruguaia de Pediatria.

Resultados:

n = 245 pesquisas realizadas por pediatras em 17/19 departamentos do Uruguai (59% de Montevidéu). 39,4% afirmaram não ter usado probióticos para tratar a GEA, 5,8% sempre usaram e 49% usaram dependendo da situação (15,2% usaram com pacientes internados e 21,2% com imunossuprimidos). A escolha dos probióticos foi baseada: 13% na evidência científica e 47,9% na disponibilidade. 32,2% dos pediatras conheciam o real impacto dos probióticos na duração da GA. 61,4% não faziam uso de drogas antisecretoras e 24,9% usaram dependendo da situação (56,7% <5 anos, 41,6% ± 5 anos, 21,6% internados). 96,6% deles escolheram Racecadotril e 3,4% Loperamida. 2% conheciam o impacto real na duração da GA. 76,3% dos pediatras usaram zinco para tratar a GA em algumas situações (64% das crianças desnutridas, 46% dos pacientes internados, 31% >6 meses, 26% <6 meses) e 6,9% sempre usaram.

Conclusão:

os probióticos e o zinco são amplamente utilizados, enquanto os antisecretores são pouco usados no Uruguai. Pediatras uruguaios tem identificado o potencial papel útil desses tratamentos para a GA, embora muitos deles ainda não conheçam seu uso real, por isso é necessário oferecer programas permanentes de capacitação médica nesse assunto.

Palabras clave : Gastroenterite aguda; Probióticos; Antisecretores; Zinco; Pesquisa online.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )