SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.89 número4Auditoría de historias clínicas: una herramienta de evaluación de la calidad asistencial. Hospital Pediátrico - Centro Hospitalario Pereira RossellAplicación de oxigenoterapia por cánula nasal de alto flujo versus oxigenación por bajo flujo en neonatos con bronquiolitis hospitalizados en salas de un centro de referencia en Uruguay índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Archivos de Pediatría del Uruguay

versión impresa ISSN 0004-0584versión On-line ISSN 1688-1249

Resumen

MAS, Mariana et al. Infecções cutâneas e de partes moles com tratamento ambulatorial num hospital pediátrico do Uruguai depois de 10 anos da epidemia SAMR. Arch. Pediatr. Urug. [online]. 2018, vol.89, n.4, pp.251-256. ISSN 0004-0584.  http://dx.doi.org/10.31134/ap.89.4.4.

Em 2001, o Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) adquirido na comunidade surgiu no Uruguai. Os germes identificados nas infecções da pele e tecidos moles (P e PB) variaram, chegando a 60% do MRSA adquirido na comunidade. Estudos nacionais recentes mostram uma mudança nas infecções nas crianças hospitalizadas.

Objetivo:

determinar a prevalência de MRSA e sua sensibilidade aos antibióticos em crianças com tratamento ambulatorial.

Metodologia:

Estudo descritivo, prospectivo. Amostra: todas as crianças que consultaram a um Serviço de Emergência Pediátrica por lesões de P e PB com tratamento ambulatorial e isolamento de germes. Se realizou seguimento telefónico às 72 horas. Período: do 10 de dezembro de 2015 a 31 de março de 2016.

Resultados:

foram incluídas 194 consultas por infecções por P e PB, nas quais indicou-se tratamento ambulatorial e identificou-se agente etiológico. O diagnóstico mais frequente foi o impetigo 181/194 (93%). Etiologia: SA 152 (SAMS 151, SAMR 1), EBHGA 3, EBHGB 3, coinfecções 32 (16%), outras 4. As 32 coinfecções foram SAMS com outro agente. Tratamento antibiótico utilizado: oral tópico 99, tópico 54, oral 21, sem antibiótico 20. Se realizou seguimento telefónico para o caso de 166 pacientes (86%). Apresentaram boa evolução 165, reconsultaram 5 crianças, nenhuma foi internada.

Conclusões:

a infecção por SA isoladamente ou associada permanece como o principal agente nas infecções por P e PB que recebem tratamento ambulatorial na população estudada. O MRSA foi responsável por 47% das infecções estafilocócicas do tratamento ambulatorial num estudo anterior. Nesta série, o MRSA representa 0,6% (p <0,05). A diminuição das infecções produzidas por MRSA coincide com os dados achados em pacientes hospitalizados no mesmo hospital. A vigilância periódica torna possível reavaliar as recomendações empíricas iniciais de tratamento e modificá-las, se for necessário.

Palabras clave : Dermatopatias infecciosas; Infecções estafilocócicas; Staphyococcus aureus resistente à meticilina; Impetigo.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )