SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número4Resultados del Programa Nacional de Trasplante Hepático del Uruguay a 10 años de su inicioIntencionalidad del embarazo y cuidados prenatales en Uruguay índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Links relacionados

Compartir


Revista Médica del Uruguay

versión impresa ISSN 0303-3295versión On-line ISSN 1688-0390

Resumen

MAS GOMEZ, Mariana et al. Experiência em sedação e analgesia ligada a procedimentos em um departamento de emergência pediátrica. Rev. Méd. Urug. [online]. 2020, vol.36, n.4, pp.37-51.  Epub 01-Dic-2020. ISSN 0303-3295.  http://dx.doi.org/10.29193/rmu.36.4.3.

Introdução:

a realização de procedimentos dolorosos é cada vez mais frequente na área de emergência pediátrica. Controlar a dor, mitigar o medo e a ansiedade é um elemento-chave no atendimento ao paciente pediátrico e uma das prioridades do médico de emergência.

Objetivo:

descrever a experiência em sedação e analgesia com ketamina e fentanil como fármaco único ou associado a outros para procedimentos dolorosos, no Serviço de Emergência Pediátrica (DEP) do Centro Hospitalar Pereira Rossell (CHPR)

Material e métodos:

estudo descritivo retrospectivo. Período: janeiro de 2011 a julho de 2016. População: todos os pacientes que receberam sedação e analgesia com ketamina ou fentanil (isoladamente ou em combinação com outras drogas) para realização de procedimentos dolorosos no DEP-CHPR. Banco de dados: prontuários médicos. A eficácia foi medida pelo sucesso do procedimento e a segurança pela presença de efeitos adversos associados.

Resultados:

n = 352 crianças menores de 15 anos. 96 receberam ketamina e 256 receberam fentanil. Idade média: 7 anos, sexo masculino: 245. Dose média de ketamina 1 mg / kg. Dose média de fentanil 1 ɤ/kg. Principais indicações para sedação e analgesia: procedimentos ortopédicos (264), toracocentese (62). Procedimento com sucesso: 352 pacientes. Monitorização cardiovascular e oximetria durante o procedimento: 100%. Efeitos adversos: 6 (não requer manobras de suporte avançado de vida). Nenhum paciente mudou seu destino final.

Conclusões:

o uso da sedação e analgesia foi eficaz e seguro realizado por pediatra de emergência capacitado em manejo farmacológico e suporte avançado de vida. O monitoramento do procedimento durante e após é necessário para investigar e resolver precocemente as complicações.

Palabras clave : Manejo da dor; Analgesia; Serviço hospitalar de emergência; Analgésicos; Criança; Ketamina; Fentanila.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )