SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número3Lesiones gravísimas causadas por la actuación ilegítima y el terrorismo de Estado en Uruguay. Reporte de diez años de valoración médico-legal y psiquiátrica a las víctimasCianobacterias en las playas: riesgos toxicológicos y vulnerabilidad infantil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Links relacionados

Compartir


Revista Médica del Uruguay

versión impresa ISSN 0303-3295versión On-line ISSN 1688-0390

Resumen

MINTEGUI, Gabriela  y  MENDOZA, Beatriz. Incidência de hipocalcemia pós-cirúrgica em tireoidectomias no Hospital de Clínicas. Rev. Méd. Urug. [online]. 2020, vol.36, n.3, pp.134-156.  Epub 01-Sep-2020. ISSN 0303-3295.  http://dx.doi.org/10.29193/rmu.36.3.6.

Introdução:

a hipocalcemia é a complicação mais frequente nas tireoidectomias. Objetivo: conhecer a incidência de hipocalcemia nas primeiras 72 horas do pós-operatório e de hipoparatireoidismo permanente como complicação das tireoidectomias em 6 anos. Pacientes e métodos: estudo descritivo e retrospectivo, de tiroidectomizados entre janeiro de 2011 e dezembro de 2016. Considerou-se hipocalcemia o valor de cálcio total ?8,5mg/dl. As variáveis estudadas foram: gênero, idade, tipo e duração da cirurgia, manifestações clínicas de hipocalcemia aguda e anatomia patológica; estas variáveis foram cruzadas com o valor mínimo de calcemia. Considerou-se hipoparatireoidismo permanente quando persistiam sob tratamento pelo menos durante um ano pós-cirurgia.

Resultados:

foram estudados 141 pacientes sendo 130 mulheres, com idade média de 45,9 anos. 95% apresentou hipocalcemia nas primeiras 72 horas do pós-operatório; por idade e gênero: ?29 anos, 90% (p 0,38), 30 - 49, 96%(p 0,4), 50 - 69, 98%(p 0,52) e ?70, 92%(p 0,16); 97% das mulheres teve hipocalcemia e 91% dos homens (p 0,26). Duração da cirurgia: < 130 minutos, 130 - 185, ?185, hipocalcemia em 4, 2 e 1 pacientes respectivamente. Dos 60 pacientes com lesões malignas, 58 apresentaram hipocalcemia e 76 dos 81 casos benignos (p 0,537). No grupo de tireoidectomias, 95% tiveram hipocalcemia (p<0,05). 71% foram hipocalcemias assintomáticas, 10% apresentaram sintomas e em 19% não havia dados. Oito pacientes quedaram com hipoparatireoidismo permanente e em 11 não havia dados.

Conclusões:

a maioria apresentou hipocalcemia. Não se observou correlação entre hipocalcemia e idade, género, duração da cirurgia nem resultado da anatomia patológica. Nas tireoidectomias observou-se correlação com hipocalcemia. Um de cada 10 pacientes apresentou sintomas de hipocalcemia. La incidência de hipoparatireoidismo permanente foi de 6%.

Palabras clave : Hipocalcemia; Tireoidectomia; Hipoparatireoidismo; Cálcio.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )