SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número3Utilidad de las técnicas de biología molecular en neuroinfeccionesLesiones gravísimas causadas por la actuación ilegítima y el terrorismo de Estado en Uruguay. Reporte de diez años de valoración médico-legal y psiquiátrica a las víctimas índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Links relacionados

Compartir


Revista Médica del Uruguay

versión impresa ISSN 0303-3295versión On-line ISSN 1688-0390

Resumen

FILIPPINI, Juan; PAGANO, Ignacio; PEREZ, María Elena  y  VON HEIDEKEN, Johan. Epifisiólise proximal do fémur: Resultados e qualidade de vida. Rev. Méd. Urug. [online]. 2020, vol.36, n.3, pp.87-111.  Epub 01-Sep-2020. ISSN 0303-3295.  http://dx.doi.org/10.29193/rmu.36.3.4.

Introdução:

o impacto sobre a qualidade de vida dos pacientes com deslizamentos de epífise proximal do fêmur instáveis e estáveis é pouco conhecido. O objetivo deste trabalho foi conhecer os resultados terapêuticos utilizando um indicador de qualidade de vida e as complicações da população afetada em um centro ortopédico de referência.

Materiais e métodos:

este estudo de coorte incluiu 28 crianças tratadas no Centro Hospitalario Pereira Rossell no período 2010-2016. Foram avaliados os aspectos clínicos e radiológicos com um seguimento pós-operatório mínimo de 2 anos. O questionário International Hip Outcome Tool (iHOT-12) foi utilizado para medir os resultados descritos pelo paciente. Foram avaliadas as complicações por necrose avascular, condrólise e pinçamento femoroacetabular.

Resultados:

foram identificados 38 quadris tratados por deslizamento epifisário proximal de fêmur. 28 foram classificados como estáveis (74%) e 10 como instáveis (26%). A fixação in situ foi o tratamento cirúrgico mais frequentemente utilizado. No término do seguimento 27 pacientes foram avaliados e o iHOT12 mostrou uma diferença significativa entre deslizamentos estáveis e instáveis (70 (intervalo 38-95) e 86 (57-100); P=0,017) respectivamente. Não foram observadas necrose avascular nem condrólise e o pinzamiento femoroacetabular foi de 19% (n=7 quadris; 6 estáveis e 1 instável).

Conclusões:

os resultados clínicos de qualidade de vida através do PROM (desfechos medidos pelo paciente) utilizado eram significativamente melhores nos DEFP instáveis comparados com os estáveis. A ausência de necrose avascular nos quadris instáveis e a maior proporção de pinçamento femoroacetabular nos deslizamentos estáveis apesar de uma remodelação femoral notória depois da fixação in situ, poderia explicar estes achados inesperados.

Palabras clave : Epífisis desprendida de cabeza femoral; Criança; Qualidade de vida.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )