SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número1Hemodiafiltración en línea como terapia de reemplazo renal crónica. Primera experiencia nacional en el Hospital UniversitarioCigarrillo electrónico y otros sistemas electrónicos de liberación de nicotina: revisión de evidencias sobre un tema controversial índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Links relacionados

Compartir


Revista Médica del Uruguay

versión impresa ISSN 0303-3295versión On-line ISSN 1688-0390

Resumen

MALVASIO, Silvina et al. Expressão tumoral de BRCA1 e resultados clínicos em pacientes uruguaias com diagnóstico de câncer de mama antes dos 40 anos. Rev. Méd. Urug. [online]. 2020, vol.36, n.1, pp.123-152.  Epub 01-Mar-2020. ISSN 0303-3295.  http://dx.doi.org/10.29193/rmu.36.1.6.

As mutações de BRCA1 são raras no câncer de mama (CM) esporádico; no entanto sua expressão no nível tumoral está diminuída ou ausente em 30-50% dos casos.

Objetivo:

avaliar a expressão tumoral de BRCA1 por imuno-histoquímica (IHQ) em mulheres uruguaias com diagnóstico de CM antes dos 40 anos.

Material e métodos:

foram incluídas pacientes com diagnóstico de CM antes dos 40 anos. Foram utilizados anticorpos monoclonais anti BRCA1 MS110 contra o extremo N-terminal e GLK-2 contra o extremo C-terminal. A sobrevida global (SVG) e a sobrevida livre de enfermidade (SVLE) foram calculadas; o método de Kaplan-Meier foi utilizado para a construção das curvas e a diferença de sobrevida foi avaliada usando o teste de log-rank.

Resultados:

foram incluídas 40 pacientes; a SVG e a SVLE aos 5 anos foram 73% e 60% respectivamente. A expressão de BRCA1 mediante GLK-2 foi <10% em 16 das 40 pacientes (40 %). A SVG e a SVLE aos 5 anos para as pacientes com expressão £10% foi 56% vs. 85% para as pacientes com expressão >10% (p=0,015) e 40% vs. 72% (p=0,034) respectivamente. A expressão de BRCA1 mediante MS110 foi =10% em 11 das 40 pacientes (27,5%). Não foram encontradas diferenças na SVG nem na SVLE aos 5 anos com este marcador.

Conclusão:

foi encontrada perda da expressão tumoral de BRCA1 determinada por GLK-2 em 40% das pacientes incluídas e foi associada a uma menor SVG e SVLE, o que poderia ter um valor prognóstico desfavorável nestas pacientes.

Palabras clave : Neoplasias da mama; Genes BRCA1; Imuno-histoquímica; Mulheres jovens.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )