SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.34 issue4Characteristics of limiting life support therapies in patients who died in the ICUEffectiveness of bortezomib treatment in patients with multiple myeloma at the Clínicas Hospitalbetween 2009 and 2016. Montevideo, Uruguay author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Related links

Share


Revista Médica del Uruguay

Print version ISSN 0303-3295On-line version ISSN 1688-0390

Abstract

AMIGO, Carolina et al. Perfil epidemiológico das intoxicações por antidepressivos recebidas no Centro Información y Asesoramiento Toxicológico uruguaio no período 2010-2012. Rev. Méd. Urug. [online]. 2018, vol.34, n.4, pp.26-47. ISSN 0303-3295.  http://dx.doi.org/10.29193/rmu.34.4.2.

Introdução:

a depressão é uma das principais causas mundiais de deficiências. Dados nacionais mostraram que 10,6% da população consumiu em algum momento um antidepressivo. A importância da exposição deste grupo terapêutico na sociedade pode ser vista, entre outros aspectos, na frequência em que se encontram implicados em intoxicações.

Objetivo:

o objetivo deste estudo foi descrever o perfil epidemiológico das intoxicações por antidepressivos recebidas no Centro de Información y Asesoramiento Toxicológico (CIAT) entre 2010 e 2012.

Metodologia:

estudo observacional retrospectivo no qual foram analisadas as consultas por intoxicações registradas no CIAT entre 2010-2012 que estavam relacionadas a um antidepressivo,

Resultados:

no período analisado foram recebidas 32565 consultas toxicológicas. Os antidepressivos foram identificados como agente tóxico causal em 2523 (7,7%). As maiorias das intoxicações foram em pacientes de sexo feminino (75,4%), adultos (79,3%) e tiveram causa intencional (90%). O antidepressivo mais frequentemente implicado foi a sertralina (38%). Todas as intoxicações severas (54; 2,1%) foram devidas a mais de um fármaco. Somente um caso registrado foi fatal.

Conclusões:

o perfil das intoxicações por antidepressivos no Uruguai entre 2010 e 2012 é similar ao descrito em series internacionais e reforça o risco conhecido dos antidepressivos de segunda geração.

Embora o número seja escasso, destaca-se a exposição de menores de 18 anos, sobre todo menores de 5 anos a estes medicamentos o que implica na necessidade de uma melhor caracterização.

Keywords : Antidepressivos; Envenenamento; Fatores de risco.

        · abstract in English | Spanish     · text in Spanish     · Spanish ( pdf )