SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.34 número2Estado vacunal y motivos de no vacunación contra el virus del papiloma humano en adolescentes admitidas en el Hospital Pediátrico del Centro Hospitalario Pereira RossellCalidad oncológica en cirugía del cáncer de recto índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Revista Médica del Uruguay

versión impresa ISSN 0303-3295versión On-line ISSN 1688-0390

Resumen

BEN, Sebastián et al. Tratamiento radical minimamente invasivo no câncer de colo uterino invasor: experiência da Clinica Ginecotocologica "A". Rev. Méd. Urug. [online]. 2018, vol.34, n.2, pp.29-47. ISSN 0303-3295.  http://dx.doi.org/10.29193/rmu.34.2.2.

Introdução:

O câncer de colo uterino é o quarto tipo de câncer mais frequente entre mulheres em todo o mundo. Em estádios precoces a cirurgia é o tratamento de eleição. O tratamento cirúrgico padrão é a Histerectomia Radical Tipo C1 e a linfadenectomia pélvica. No Uruguai a via de abordagem classicamente utilizada é a laparotomia. Os resultados oncológicos pelas diferentes vias de abordagem são considerados equivalentes. Apresentamos a primeira serie de casos publicados no Uruguai, de tratamento cirúrgico minimamente invasivo no câncer de colo uterino.

Métodos:

Estudo descritivo prospectivo de serie de casos. Foram incluídas todas as pacientes operadas por câncer de colo uterino invasor como tratamento primário com via de abordagem minimamente invasiva, no período janeiro de 2013 - dezembro de 2016 na Clínica Ginecotocológica “A”, Hospital Pereira Rossell.

Resultados: foram operadas 17 pacientes: 14 Histerectomia Radical Laparoscópica + linfadenectomia pélvica laparoscópica e 3 Histerectomia Radical Vaginal + linfadenectomia pélvica laparoscópica. Idade media: 44 anos. Tempo médio da cirurgia: 261 minutos. Tempo médio de internação pós-operatória: 5 dias. Conversão a laparotomia: 2 casos. Foi ressecada uma média de 14,4 gânglios pélvicos. Nenhum caso apresentou comprometimento das margens. Foram registradas 2 lesões vesicais. Não se observaram casos de sangramento severo, transfusão, lesão intestinal, vascular nem ureteral. Não se registraram casos de infecção, deiscência, tromboses, intervenção ou reinternação. Não foram registradas recorrências, com um seguimento médio de 29 meses.

Conclusões:

a cirurgia minimamente invasiva é factível para o tratamento do câncer de colo uterino em estádios precoces no nosso meio, mostrando bons resultados anatomopatológicos, cirúrgicos e oncológicos com baixa morbidade.

Palabras clave : Neoplasias do colo do útero; Procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos; Histerectomia; Excisão de linfonodo.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )