SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.34 issue1Head and neck cancer in Uruguay. Survival analysis in two reference centers author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Related links

Share


Revista Médica del Uruguay

Print version ISSN 0303-3295On-line version ISSN 1688-0390

Abstract

CABRERA ALONSO, Susana Gabriela; ARTETA DALCHIELE, Zaida; MERE ROUCO, Juan José  and  CAVALLERI FERRARI, Fiorella. Qualidade de vida relacionada à saúde em pessoas com HIV e fatores associados. Rev. Méd. Urug. [online]. 2018, vol.34, n.1, pp.3-41. ISSN 0303-3295.  http://dx.doi.org/10.29193/rmu.34.1.1.

Introdução:

embora exista uma significativa melhoria na sobrevida, consequência do impacto do tratamento antirretroviral (TARV), numerosos estudos demostram que a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) em pessoas com VIH é afetada.

Objetivo:

avaliar QVRS em pessoas com VIH e as variáveis sócio demográficas e clínicas associadas, com ênfase na adesão ao TARV.

Método. Estudo transversal de uma amostra não probabilística de pessoas com VIH, maiores de 18 anos, recebendo TARV, atendidas no subsetor público em um período de 24 meses. Foram utilizados os questionários MOS-HIV SF30 para QVRS e SMAQ para avaliar a adesão ao tratamento.

Resultados:

foram incluídas 101 pessoas. O questionário MOS-HIV SF30 mostrou fiabilidade e boa consistência interna. O score global de QVRS foi 71,71±17,76. O score global e em algumas dimensões foi pior em pacientes com carga viral indetectável: funcionamento físico, p=0,016; energia/fadiga, p=0,008; qualidade de vida percebida, p=0,025. Nas mulheres o score foi pior em dor, p=0,034; funcionamento físico, p=0,006; funcionamento social, p=0,031; saúde mental, p=0,040. O score foi significativamente melhor em alguns domínios entre os aderentes (saúde general percebida, p=0,027; funcionamento social, p=0,030); em homens gay/bissexuais (dor, p=0,025; atividade diária, p=0,028); entre os que tiveram relações sexuais no último mês (saúde general percebida, p=0,011).

Conclusões:

o score global de QVRS foi bom apesar de ser uma população com múltiplas vulnerabilidades. Embora a adesão ao tratamento estivesse relacionada a uma melhor percepção da QVRS em alguns domínios, não teve impacto no score global. A carga viral indetectável não foi preditor de melhor QVRS, o que confirma que os parâmetros biológicos isolados não explicam a complexidade da percepção de saúde.

Keywords : Qualidade de vida; HIV; Síndrome de imunodeficiência adquirida.

        · abstract in English | Spanish     · text in Spanish     · Spanish ( pdf )