SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número1Factores asociados con la abstinencia y eficacia de un programa de cesación de tabaquismoDemanda de camas en medicina intensiva. Proceso de ingreso al centro de tratamientos intensivos del Hospital de Clínicas durante un mes índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Revista Médica del Uruguay

versión On-line ISSN 1688-0390

Resumen

BALAGUER TESKE, Erica et al. Tiroiditis posparto en uruguay. Rev. Méd. Urug. [online]. 2007, vol.23, n.1, pp.34-39. ISSN 1688-0390.

Resumo A tiroidite pós-parto é uma síndrome de disfunção tiroideia transitória ou permanente materna que ocorre no primeiro ano do nascimento. Não existem datos de prevalência de tiroidite pós-parto no nosso país. Objetivo: determinar a prevalência de tiroidite pós-parto na população de pacientes mulheres usuárias dos serviços de Saúde Pública de nosso país. Material e método: realizou-se um estudo observacional descritivo, incluindo 105 pacientes cujo parto havia ocorrido nos três a 12 meses anteriores, excluindo aquelas pacientes que apresentavam doença tiroideia conhecida. Dosificou-se tirotropina em todas as pacientes, repetindo-se aos três meses nas patológicas e dosificando-se anticorpos anti-tiroperoxidase. Resultados: encontrou-se 5,7% de tiroidite pós-parto, e 6,7% de hipotiroidismo não associado a tiroidite (12,4% total). A presença de sintomas associados a patologia não foi estatísticamente significativa (x²=0,431). Estimou-se a curva de valores normais de TSH em relação aos meses pós-parto. Conclusðes: o conceito de tiroidite pós-parto como um distúrbio leve e temporário está mudando atualmente, reconhecendo-se como uma fase aguda em processo crônico de tiroidite auto-imune com sequelas negativas a longo prazo na mãe e no filho. A prevalência varía entre 1,1% a 21% mundialmente, não havendo dados prévios no nosso meio. Na população estudada se encontrou 5,7% de pacientes com enfermidade, com um total de 12,4% de resultados patológicos, não se encontrando associação com a presença de sintomas clínicos. A frequência desta afecção determina a necessidade de valorar e implementar ferra-mentas de triagem adequadas.

Palabras clave : TIROIDITIS POSPARTO; TIROIDITIS AUTOINMUNE.

        · resumen en Español | Inglés | Francés     · texto en Español     · Español ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons