SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue3Colonización vaginorrectal por Streptococcus del grupo B en mujeres embarazadas, entre las 35 a 37 semanas de gestaciónEncuesta a docentes del ciclo materno infantil: conocimiento de documentos universitarios author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Revista Médica del Uruguay

On-line version ISSN 1688-0390

Abstract

GUTIERREZ, Stella et al. Dislipemia y lipodistrofia en niños uruguayos vih positivos en tratamiento antirretroviral. Rev. Méd. Urug. [online]. 2006, vol.22, n.3, pp.197-202. ISSN 1688-0390.

Resumo A sobrevida dos pacientes infectados pelo virus da imunodeficiência humana (VIH) melhorou com o tratamento anti-retroviral de alta eficácia. Novos problemas apareceram como o surgimento de efeitos adversos. O objetivo deste trabalho foi descrever a prevalência de lipodistrofia e dislipemia em crianças infectadas tratadas e determinar se a fase da patologia e a duração do tratamento estão associadas com essas alterações. Material e método: estudo descritivo transversal. Definiu-se como lipoatrofia a criança com índice de massa corporal (IMC) normal e espesura da dobra de trícipes <5 percentil (p) ou atrofia facial, ou ambos; lipohipertrofia a IMC normal e espessura da dobra subescapular > 90 p ou gordura central, ou ambos; lipodistrofia combinada, a que inclui ambos tipos. Foram definidas como hipertrigliceridemia e hipercolesterolemia aos valores >90p segundo tabelas de referência. A duração do tratamento foi clasificada como < a cinco anos e ao estádio da doença. Os re-sultados foram estabelecidos como porcentagens com intervalos de confiança de 95%. Empregou-se o teste de c2. Resultados: Foram incluídas 60 crianças com idade média de 6,8 anos   3,3. Treze apresentaram lipodistrofia (21,7%, IC95%12,5-34,5) e 33 dislipemia (55%, IC95% 41,7-67,7). Nem a dislipemia nem a lipodistrofia foram associadas ao estádio da doença. A dislipemia mixta predominou nas crianças com cinco ou mais anos de tratamento o que não foi observado na hipertrigliceridemia. A lipodistrofia não foi associada à duração do tratamento. Conclusões: a lipodistrofia e a dislipemia são alterações frequentes. O monitoramento dos lipídeos e da composição corporal são imprescindíveis para que as crianças tenham melhores condições de saúde.

Keywords : LIPODISTROFIA [ epidemiología]; DISLIPIDEMIAS [ epidemiología.]; INFECCIONES POR HIV [ quimioterapia].

        · abstract in English | Spanish | French     · text in Spanish

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License