SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.72 número2Enfermedad diarreica aguda: Características de la población asistida en el CASMU. Abril 1997 - Abril 1998Eventración diafragmática: Una causa excepcional de dificultad respiratoria neonatal índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Links relacionados

Bookmark

Archivos de Pediatría del Uruguay

versão impressa ISSN 0004-0584

Resumo

GIACHETTO, GUSTAVO et al. Conducta de los pediatras frente a la fiebre. Arch. Pediatr. Urug. [online]. 2001, vol.72, n.2, pp. 116-120. ISSN 0004-0584.

Introdução: a febre é o sintôma mais comum em pediatria. Estudos prévios evidenciaram diversidade de critérios em relação ao diagnóstico e tratamento da febre na população. Objetivo: analisar qual é a conduta dos pediatras nesta situação. Metodología: foi feita uma pesquisa telefônica a 50% dos pediatras de 3 serviços de emergência de Montevidéu (SEMM, SUAT, UCM) entre julho e agosto de 2000. Resultados: responderam 96% dos médicos (n=162). A média da temperatura axilar considerada febre foi 37,6º C (rango 37.1 - 38.6). O 99% indicou tratamento físico, o 66% independentemente das cifras de temperatura. O ibuprofeno foi o antitérmico preferido (58%) seguido por dipirona (28%) e paracetamol (14%). Os motivos principais dessa preferência foram: eficácia 72%, segurança, baixa toxicidade 11%, outros 4%. Observou-se alta variabilidade nas dosagens para cada antitérmico. O 25% não mencionou nenhum evento adverso. Conclusões: destaca-se a heterogeneidade das condutas adotadas, a utilização de doses de antitérmicos inadequadas e de tratamentos físicos não necessárias e a falta de considerar os efeitos adversos dos medicamentos utilizados.

Palavras-chave : FEBRE; IBUPROFENO [uso terapéutico]; DIPIRONA [uso terapéutico]; ACETAMINOFENO [uso terapéutico].

        · resumo em Espanhol | Inglês     · texto em Espanhol     · pdf em Espanhol