home > Seleção de Periódicos da Coleção SciELO Uruguai > Critérios SciELO Uruguay

Critérios SciELO Uruguai

Critérios, políticas e procedimentos para a admissão e manutenção de periódicos científicos na coleção de SciELO-Uruguai

1. Introdução

Este documento descreve os critérios de avaliação de periódicos científicos SciELO adotados pelo Projeto SciELO para a admissão e a permanência de títulos na coleção eletrônica SciELO Uruguai.

Na medida em que o Projeto SciELO se estenda a outros países da América Latina, espera-se um enriquecimento e uma generalização progressivos dos padrões, a fim de estabelecer critérios únicos para a admissão e a permanência de periódicos científicos nas coleções SciELO nacionais e / ou regionais.

2. Objetivos dos critérios SciELO Uruguai

Os critérios SciELO são definidos no contexto do Projeto SciELO, coordenado por FAPESP e BIREME, cujo objetivo geral é contribuir para o desenvolvimento da pesquisa científica nacional, através do aperfeiçoamento e da ampliação dos meios de difusão, publicação e avaliação de seus resultados, fazendo uso intensivo de publicação eletrônica.

O Projeto SciELO busca, a curto prazo, aumentar radicalmente a visibilidade, a acessabilidade e a credibilidade nacional e internacional da publicação científica da América Latina e Caribe, através da publicação integrada na internet de coleções nacionais e regionais de periódicos científicos. A longo prazo, o projeto busca contribuir para o aumento do impacto da produção científica nacional.

Para alcançar os objetivos do Projeto SciELO é essencial promover o aperfeiçoamento da comunicação científica nacional em todos os seus aspectos, procurando identificar, estimular e desenvolver uma coleção-núcleo de periódicos científicos, cujo padrão de qualidade alcance o dos periódicos científicos internacionais de primeira linha. Nesse sentido, os critérios de avaliação dos periódicos e as políticas e procedimentos para sua aplicação constituem uma linha de ação fundamental do Projeto SciELO.

Os critérios SciELO Uruguai têm como objetivo específico contribuir para a formação e o desenvolvimento da coleção-núcleo de periódicos científicos de SciELO Uruguai, e ainda:

a. fornecer suporte para a avaliação de periódicos científicos nacionais, com o objetivo de determinar a sua admissão na coleção SciELO Uruguai;

b. monitorar o desempenho de periódicos científicos incluídos na coleção SciELO Uruguai, com o objetivo de reafirmar a sua permanência na coleção;

c. produzir indicadores de desempenho da coleção SciELO Uruguai como um todo e de cada um dos periódicos participantes.

O conteúdo e a aplicação dos critérios SciELO Uruguai deverão acompanhar a dinâmica do Projeto SciELO e, em particular, do processo de formação e desenvolvimento da coleção SciELO Uruguai.

3. Comitê SciELO Uruguai (nova operação de 20110329)


3.1. Integração
I.    Editores das publicações que compõem o portal
II.  Comitê Assessor Avaliador
III. Comitê Executivo
IV. Coordenação SciELO Uruguai

3.2. Tarefas:
a. aplicação dos critérios SciELO Uruguai.
b. divulgação do projecto.

3.1.I. Editores
Integração:
Editores que integram SciELO Uruguai  e aqueles que estão em processo de incorporação, abrangendo todas as áreas do conhecimento.
Tarefas:
a. ser a voz da publicação (como representante e responsável pelo conteúdo intelectual do mesmo) no projeto.
b. interlocutor das propostas sendo que lhe foram colocadas em relação a melhorias na revista.
c. O editor deve ser responsável pelo processo de revisão ser incluídos no Portal, utilizando recursos humanos e técnicos próprios.
Ser estudado os casos em que as  instituições não têm a infra-estrutura para processá-lo.
A Coordenação do projeto tem a capacidade de decidir se a assumir a responsabilidade do processamento  da  revista.
Se assim for, o editor deve ter o cuidado de enviar as informações relevantes no tempo e as condições exigido (Coordenação de SciELO).
d. Ajudar no marketing do projeto.
e. Comitê pode ter em suas reuniões e atividades, consultores externos e especialistas quando seja necessário.

3.1.II. Comitê Assessor Avaliador
Integração:
-BINAME-Faculdade de Medicina como Coordenador do projeto
-A representante do Fundo Nacional de Recursos (Colaboração Cochrane)
-A representante da Agência Nacional para a Investigação e Inovação - ANII
-Um editor que representa área saúde
-Um editor representando todas as áreas do conhecimento, com exceção da área de saúde

Tarefas:
a. decidir incluir novos títulos de periódicos científicos na coleção.
b. decidir excluir periódicos científicos da coleção.
c. propor modificações aos critérios de avaliação para a admissão e permanência de títulos de periódicos na coleção SciELO Uruguai:  1) Critérios para admissão automática, 2) estabelecer a freqüência no número de artigos por ano, de acordo com a área de assunto.
d. decidir sobre os indicadores de desempenho dos periódicos na coleção SciELO Uruguai, a ser publicado regularmente. e. verificar o funcionamento do Comitê SciELO Uruguai, a fim de cumprir os objectivos de forma eficiente.
f. discussão e propor políticas, programas, procedimentos e atividades de fortalecimento da coleção.
g. a aplicação dos critérios gerais de SciELO Uruguai.
h. O Comité terá também encontros e atividades com a participação de consultores e especialistas externos, quando seja  necessário.

3.1.III. Comitê Executivo
Integração:
Bibliotecários das instituições do Uruguai SciELO.
Tarefas:
a. A recepção e controle de publicações e arquivos em diferentes meios (disquete, CD-rom ou e-mail) e formatos (zip, doc, html, etc.)
b. pré e pós-processamento dos artigos incluídos no condicionamento preparatório para a marcação posterior (mudança de formato, colocação correta de fotos, legendas, tabelas, etc) ..
c. Discagem processo de conversão, subseqüentes (conversor), pesquisa no site e adicionar novos itens a ele.
Em pontos a., b. e c. vai trabalhar em conjunto com o técnico de informática.
d. Enviar fascículos processados a  Coordenação SciELO.
e. Difusão SciELO Uruguai e contato com editores de revistas que não estão familiarizados com o projeto (aquisição de novos títulos).
f. Tarefas de biblioteconomia: apresentação de artigos, apresentação bibliográfica correta de acordo com padrões estabelecidos, levantar sugestões para melhorar as informações inerentes e publicação ISSN ISSN-e, outros.
g. Levantando as resoluções doComitê SciELO Uruguai (CScU) para a BVS geral.
h. O Comitê pode ter em suas reuniões e atividades consultores externos e especialistas quando seja necessário.

3.1.IV. Coordenação SciELO Uruguai

Integração:
BINAME - CENDIM - Faculdade de Medicina - Universidade da República (UdelaR) vai coordenar Projeto SciELO operacionais e atuará como presidente.
Ser conduzido pela equipe de propriedade SciELO Biman CENDIM-FM, composto por bibliotecários e cientistas da computação.
Tarefas:
a. Coordenar as atividades entre as vários comitês e fazer a Secretaria Executiva.
b. Fazer o processamento das publicações cujas instituições não têm a infra-estrutura básica, após análise da situação.
c. Incorporar fascículos portal tratados pelas instituições e os equipe SciELO.
d. Realizar controle de qualidade do portal em geral e em particular das revistas que o compõem.
e. Promover a formação sobre a metodologia SciELO, sobre a estrutura de um artigo científico, sobre a apresentação formal dos dados bibliográficos, de acordo com as regras adoptadas pelas revistas.
f. Fazer em conjunto com o Comitê Assessor Avaliador a análise das publicações que aspiram a entrar no portal.
g. O Comitê pode ter em suas reuniões e atividades a consultores externos e especialistas quando seja necessário.

4. Alcance da coleção SciELO Uruguai

A coleção SciELO Uruguai inclui periódicos científico-tecnológicos que publicam predominantemente artigos resultantes de pesquisas científicas originais e outras contribuições originais significativas para a área específica da revista. O processo de revisão e aprovação das contribuições deve ser feito por especialistas (pares).

A coleção de cada título individual em SciELO Uruguai deve iniciar-se a partir do ano 2000, ou a partir do primeiro número para os periódicos criados após 2000. As contribuições podem estar escritas em espanhol, português e inglês.

Os periódicos da coleção SciELO não têm de ser, necessariamente, publicados em papel.

5. Critérios SciELO Uruguai para admissão de periódicos na coleção

5.1 Critérios para admissão automática durante 2000, 2001 e 2002

Os critérios SciELO Uruguai para admissão de novos títulos de periódicos consideram as avaliações a que esses periódicos foram submetidos anteriormente, incluindo sua participação em índices internacionais selecionados.

Um título de periódico estará automaticamente habilitado para admissão, no caso de estar incluído em um dos índices selecionados.

5.1.1 Periódicos incluídos em índices internacionais

Os periódicos nacionais que são indexados nos seguintes índices internacionais estarão automaticamente habilitados para sua primeira admissão na coleção SciELO Uruguai:

· ISI

· MEDLINE / Index Medicus

· PsycInfo (American Psychological Association)

· Scopus

Compete à Comissão de Editores a modificação desta lista de índices internacionais.

A permanência dos periódicos deste grupo na coleção SciELO Uruguai será determinada com base em indicadores de desempenho definidos no ponto 6.

5.2 Critérios de avaliação de periódicos para admissão em SciELO

Quando um título de periódico não estiver automaticamente habilitado para admissão em SciELO, o mesmo deverá ser avaliado de acordo com os seguintes indicadores.

5.2.1 Caráter científico

Os periódicos devem publicar predominantemente contribuições originais resultantes de pesquisa científica e / ou significativas para a área específica da revista. Sempre que seja necessário, a Comissão de Editores SciELO Uruguai poderá solicitar a opinião de pares para verificar a predominância de contribuições originais.

5.2.2 Arbitragem por pares

A revisão e aprovação das contribuições devem ser realizadas por pares. A revista deve especificar formalmente qual o procedimento seguido para a aprovação de artigos. A partir da admissão em SciELO o processo de arbitragem deve ser documentado. É obrigatória a indicação das principais datas do processo de arbitragem, incluindo as datas de recepção e aprovação.

5.2.3 Conselho Editorial

A composição do conselho editorial da revista deve ser pública. Seus membros ser especialistas reconhecidos, de origem nacional e internacional. Revistas que possuem um conselho com integrantes ligados predominantemente a uma instituição comercial e com artigos provenientes, em sua maioria, dessa única instituição, não serão admitidas.

5.2.4 Periodicidade

A periodicidade é um indicador que depende da área temática da revista. A periodicidade é um indicador do fluxo da produção científica da área específica coberta pela revista. É também um indicador relacionado com a oportunidade e a velocidade da comunicação.

A tabela a seguir mostra, de acordo com grandes áreas temáticas, a periodicidade mínima e desejada, bem como o número mínimo e desejado de artigos por ano:

                                                         Periodicidade                         número de artigos por ano

Área temática                               mínima     desejada                           mínimo      desejado

Biológicos                                    semestral       trimestral                              12              36

Exatas                                          semestral       trimestral                              12              36

Humanística                                      anual         semestral                                6              12

5.2.5 números necessários para a avaliação

A revista deve ter pelo menos 4 números publicados para ser considerada para avaliação.

5.2.6 Pontualidade

A revista deve aparecer pontualmente de acordo com a sua periodicidade.

5.2.7 Resumo, descritores e título em inglês

Os artigos devem conter título, resumo e descritores no idioma do texto do artigo e no idioma inglês, quando este não é o idioma do texto.

5.2.8 Normalização

A revista deve especificar a(s) norma(s) seguida(s) para apresentação e estruturação dos textos e para a apresentação das citações bibliográficas, de modo que seja possível avaliar a obediência das normas.

5.3 Parecer do processo de admissão

A admissão de uma revista na coleção SciELO deve ser feita depois do parecer positivo da Comissão de Editores SciELO Uruguai.

Sempre que seja necessário a Comissão solicitará arbitragem de pares (regionais ou internacionais) para reforçar seus pareceres.

A Unidade Nacional SciELO (BINAME) contribuirá com o trabalho da Comissão, fornecendo a informação e a documentação que sejam necessárias.

O parecer da Comissão poderá conter recomendações de melhorias e modificações nas revistas, que devem ser implementadas dentro do período especificado no parecer.

6. Critérios de avaliação de desempenho para permanência em SciELO

A princípio, todos os indicadores adotados para a avaliação de títulos de periódicos para admissão em SciELO Uruguai, também se aplicam à sua permanência.

O cumprimento das recomendações de melhorias apresentadas no parecer de admissão do periódico deve ser tratado como um indicador para a sua permanência na coleção SciELO.

Os seguintes indicadores específicos de desempenho das revistas na coleção SciELO devem ser utilizados para justificar a sua manutenção na coleção:

6.1 Pontualidade de envio dos artigos

A pontualidade de envio é medida pela chegada dos arquivos de um número da revista na Unidade SciELO, que deve seguir pontualmente a periodicidade da revista. A Unidade SciELO deve indicar a ocorrência de atrasos no envio dos arquivos.

As revistas que não são pontuais devem ser analisadas pela Comissão de Editores SciELO Uruguai, estando sujeitas à exclusão da coleção.

6.2 Indicador de uso da revista

O uso da revista é medido pela evolução mensal do número de acessos ou visitas ao conteúdo da revista. Se o uso da revista é sistematicamente baixo e / ou decrescente quando comparado com revistas da mesma área, a permanência da revista na coleção deve ser avaliada pela Comissão de Editores SciELO Uruguai, que deve emitir parecer para que se estudem as causas e possíveis soluções ou propor a exclusão da revista da coleção.

6.3 Indicador de Impacto

O indicador de impacto de cada título de revista, medido com base nas citações que a revista recebeu, deve ser avaliado em conjunto com os títulos de revistas da mesma área.

O aumento no fator de impacto ou a sua estabilização no valor médio dos periódicos da mesma área são considerados resultados de desempenho positivo e, portanto, garantia de permanência do título na coleção SciELO.

7. Parecer do processo de exclusão de títulos

A exclusão de uma revista da coleção SciELO deve ser feita depois de emitido parecer da Comissão de Editores SciELO Uruguai.

8. Recursos

O editor da revista poderá apelar à decisão da Comissão de Editores SciELO Uruguai, tanto nos casos de admissão como nos casos de exclusão da coleção SciELO.

Os recursos serão examinados pela Comissão de Editores e a revista poderá ser reavaliada. O parecer da Comissão será enviado ao editor da revista.

9. Readmissão

As revistas que sejam excluídas da coleção SciELO poderão ser readmitidas sempre que voltem os critérios de inclusão e manutenção na coleção SciELO. A readmissão será avaliada pelo Comissão de Editores SciELO Uruguai.

A readmissão não será efetiva imediatamente após a exclusão de um título da coleção SciELO. Para ser reavaliada, uma revista deve demonstrar que cumpre novamente os critérios, em pelo menos quatro números consecutivos, ou um ano.

10. Conflito de interesses

Quando exista alguma relação entre os autores de um artigo ou qualquer entidade pública ou privada, da qual possa derivar algum conflito de interesses, tal fato deve ser comunicado ao editor. Se o artigo foi aceito para publicação serão acordados entre os autores e o editor a forma de comunicar essa informação aos leitores.

20071212
Adições aprovado na reunião do Comitê SciELO Uruguai 12 de dezembro de 2007, os seguintes pontos:
-5.1.1 Periódicos incluídos em índices internacionais: eles incluíram o tema SciELO temático
Periodicidade área humanística -5.2.4, no mínimo: anual, com 6 artigos originais, 12 artigos originais desejado.

20110329
Novo  funcionamento do
Comitê SciELO Uruguai.

20111109
Remoção de Lilacs e SciELO portais temáticos como plataformas para admissão automática na coleção SciELO nacional do Uruguai.
Decidiu-se incorporar o Scopus banco de dados para a entrada automática de revistas que já estão nele.
Referência: Item 5.1.1. Periódicos incluídos em índices internacionais.

SciELO - Scientific Electronic Library Online
BINAME-CENDIM-FM-UdelaR
Av. Italia - Hospital de Clínicas
Montevideo - Uruguay
Tel.: (598) 2480 2902
Fax:


scielouruguay@fmed.edu.uy